Fazendo as Malas

Taí algo que todo mundo já teve que fazer  ao menos uma vez na vida. Há quem ame, há quem odeie, mas com alguns truques o processo fica muito mais fácil e até prazeroso. vem comigo que te mostro como.

Antes de tudo é importante entender o que uma "boa" arrumação de mala significa: selecionar o menor número de peças possível que proporcionem uma boa variação de looks durante o período longe do seu guarda-roupa completo. Falando assim, parece uma tarefa difícil, mas garanto que não é. Pede planejamento, claro, mas a prática vai te levar a perfeição.

E sabe de uma coisa? Sei que é uma visão super romantizada, mas gosto de pensar que arrumar a mala faz parte da experiência da viagem. Ao tirar as coisas da gaveta/armário você já está pensando no roteiro, no clima, nos lugares que vai visitar...ao meu ver negócio começa alí. Sou dessas que dá um jeito de curtir tudo, ainda mais se tratando de viagens rs. 

Mas antes de iniciar a separação de peças e começar a bagunça, é essencial considerar DOIS pontos importantes:

1. A cultura do lugar de destino

Parece bobo, mas vou te contar que há uma lista infinita de perrengues de turistas em cidades com culturas diferentes das de onde a gente veio. Se você estiver indo viajar pra outro país, vale checar os costumes locais. Se esse outro país se encontra em outro continente ou na porção oriental do globo, a pesquisa é obrigatória: países com população muçulmana, por exemplo, possui hábitos de vestimenta muito diferentes dos nossos. Então vale entender o que seria considerado de bom tom em cada local.  

O roteiro conta com visitas a igrejas e templos religiosos? Fique de olho pois esses espaços geralmente são restritos ao tipo de vestimenta. Bermudas, saias e vestidos curtos e regatas geralmente não são permitidos. Dependendo do local, não dá pra entrar sem véu/ lenço cobrindo a cabeça. Fique atenta!

2. O clima durante o período em que você estiver por lá.

E quando a gente acha que arrumou aquela mala maravilhosa e se arrepende amargamente quando chega ao destino e o clima estava ao avesso? Isso é mais comum do que se imagina, já errei a mão algumas vezes nesse quesito.

Hoje em dia já dá pra ter uma boa noção da previsão do tempo com uma semana de antecedência à partida. Por isso, cheque de vez em quando no período pré-viagem para garantir que você fez as escolhas certas.

Dito isso, vamos a prática.

1. Pra começar, os básicos.

Comece com os itens básicos de higiene, beleza e medicamentos. Separe tudo o que precisa em necessaires e, se possível, categorize nos grupos que mencionei acima. Tente não levar mais do que três para evitar se perder em meio a tantas embalagens.

Tá viajando de avião? Considere comprar necessaires transparentes, que facilitam muito no processo de passagem pelo controle de segurança, já que na cabine só é possível levar um número limitado de líquidos, em embalagens de até 100ml. Ao invés de usar os saquinhos disponibilizados no aeroporto, você já deixa tudo prontinho e só tira na hora que estiver passando pela segurança. Só fique atenta para encontrar necessaires de tamanho pequeno/médio, de aproximadamente 20cm x 20 cm. Mais do que isso, grandes chances de você ser convidada a remover suas coisas e passar tudo pro saquinho.

2. Selecione peças-chave

Feito isso, escolha as peças-coringa, que são o básico do seu guarda-roupa e estilo. Estou falando do top branco, da camisetinha listrada, do jeans-de-todo-dia. Dependendo da viagem, vale aquele vestido preto que sempre te salva. Nessa fase, dê preferência para tons neutros (branco, preto, marinho, creme) e sem estampas.

"Mas eu tô saindo em férias, quero usar tudo, menos o básico!". Sim, eu sei, isso pode passar pela tua cabeça. É claro que você pode usar e abusar das cores, cortes e do que quiser, afinal ninguém melhor que você pra saber o que te faz bem. Porém, se tratando de uma seleção de roupas para um curto-médio período de tempo, investir em peças básicas e acrescentar toques de cor, como veremos adiante, lhe dá muito mais possibilidades de combinações. E esse é o propósito da mala "efetiva", lembra?

colocando tudo sob sua cama ou no chão do quarto, assim você consegue ter uma visão geral das peças que está selecionando.

3. Adicione cor

Com as peças básicas já selecionadas, vá acrescentando peças com cor e estampas, de acordo com o que foi escolhido (tô adorando esse post, parece uma receita de bolo). Vale um top rosado, um vestido floral, uma lenço colorido, um brinco com miçangas. O importante aqui é casar as cores entre si - e já pensar na combinação com os calçados. Aos poucos as escolhas básicas de antes vão ganhando cor e graça.

4. Acessórios? Sim, por favor.

Como a ideia é criar muitas possibilidades com um número limitado de itens, os acessórios são grandes aliados. Para além de bijoux, nao esqueça dos lenços, chapéus, faixas para cabelo, grampos e amarradores, óculos, relógios e tudo mais o que te faça se sentir linda. Bolsinhas a tiracolo, também são uma boa pedida e podem, inclusive, funcionar como necessaire "temporária" trazendo coisinhas dentro da mala. 

Avalie suas escolhas tendo como base as peças que você escolheu. O colar em questão orna bem com a sua seleção de looks? A estampa da faixa de cabelo combina com as roupas que você decidiu levar?

Acessórios também vem com um plus: por serem pequenos e difíceis de amassar, podem ser colocados dentro de sapatos e entre os vãos da mala. 

5. faça uma boa curadoria de Calçados

Por conta do volume que fazem, o ideal é limitar o número de calçados. Se for uma viagem de férias, legal dar preferência para os flats (sapatilhas, sandálias, mules) e tênis. Se a viagem é para um evento especial, ou inclui um jantar, balada ou qualquer programa que exige um dress code mais refinado, vale levar um salto, de preferência um que combine com mais de um look.

Lembre-se de embalá-los individualmente em saquinhos de feltro ou plástico e, se possível, deixe todos juntos em determinado espaço na mala. Ao menor sinal de mau cheiro, dá-lhe um spray perfumado.

Tudo pronto?

Assim que todas as peças já estiverem devidamente escolhidas, vá colocando tudo na mala. Comece com os tecidos que amassam menos, como o jeans, e termine com camisas e peças mais delicadas. O ideal seria deixar uma área só para sapatos e bolsas e dividir os acessórios ocupando os pequenos espaços livres.

Também não se esqueça de posicionar as necessaires contendo líquidos e itens delicados na parte superior da mala/mochila. Quem nunca abriu a mala e deu de cara com aquela amostrinha de shampoo vazando por todo lado? #Fail

Sobre quantidades e proporções

Como disse, fazer as malas tem um objetivo muito claro: empacotar seus melhores pertences em um espaço super limitado e garantir que há variações e peças diferentes pra usar durante todo o periodo que voce estiver fora. Essa é a premissa da construção de uma mala eficiente!

Por isso, tão importante quanto selecionar as peças, é decidir o número de peças ideal para o período da sua viagem.  Pensando nisso, lembrei do método 5, 4, 3, 2, 1. Já ouviu falar?

Basicamente ele propõe uma pirâmide de proporções e quantidades de cada tipo de peça que levar na viagem. O esquema abaixo é bem autoexplicativo, olha só:

Tá aqui, de mão beijada pra vocês.

Tá aqui, de mão beijada pra vocês.

Os itens que escolhi são obviamente uma sugestão e devem ser adaptados ao seu destino e estilo. No caso de um lugar frio, os tops devem ser substituídos por malhas e blusas de frio, além do casaco. As saias e bermudas, por calças. Lenços, por cachecóis e por aí vai. 

Além disso, mais importante do que seguir o número de peças sugerido, é entender o jogo de proporção: em uma viagem longa, por exemplo, cinco tops não dariam conta. Eu acrescentaria mais duas peças de cada, com exceção das roupas de banho, talvez. Vai passar muito tempo fora? Que tal dobrar o número de itens?

Esse esquema é uma base pra te ajudar nas escolhas e, claro, não precisa ser seguido à risca.

A propósito, tenho algumas considerações:

*Preste bem atenção nos itens que selecionei: percebeu que todos combinam entre si? Todos os tops combinam com todas as partes de baixo, que vão bem como todos os sapatos. Parece mágica, mas se é apenas uma boa coordenação de cores e cortes. 

*Assim como comentei uns parágrafos atrás, a escolha de cores faz muita diferença, assim como a modelagem. Eu gosto muito de pensar em uma "paleta de cores" da mala na hora de fazê-la, tal como fiz no esqueminha, mas é pura questão de gosto. Por falar em modelagem, tops sequinhos tem mais chances de ser combinam com diferentes saias e bermudas, então talvez seja uma boa opção considerar mais de um.

*Lingeries e meias estão liberadas no quesito quantidade, por isso não entram no esquema. Considere o tempo de viagem e um plano B para lavá-los se o período fora for muito longo. 

*Vestidos são peças únicas, geralmente usadas sozinhas. Quanto mais exemplares, menos possibilidades de combinações. Lembre-se disso. 

 

E o que fazer quando a amplitude térmica do destino é gigante?

 

Essa é uma das dúvidas mais frequentes, afinal ninguém quer passar frio ou calor demais. Quando as temperaturas mínima e máxima são super diferentes, minha sugestão é: foque na temperatura mais alta e se prepare para o mínimo.

Pois bem, digamos que a previsão do tempo do seu destino vai de 10*C à 27*C graus. Ou seja, dá pra usar vestido e sandálias de dia, e bota com gorro à noite. O segredo nesse caso, caras, são as camadas. Pode e deve sim levar o vestido, mas se prepare pra colocar sob ele uma blusa bem quentinha, meia-calça e bota conforme a temperatura vai diminuindo. 

As peças-chave que recomendaria nesse caso são, por serem mais fáceis de compor um look legal pra ambas as temperaturas, são:

  • Leggings;

  • Vestidos e saias longas;

  • Jaqueta de couro (que segura bem o frio);

  • Lenços em tecidos mais grossos, ideais para proteger do calor e aquecer no frio;

  • Tops no estilo segunda-pele;

  • Meia-calça;

  • Malhas mais leves, que dá pra guardar na bolsa ou usar amarradas na cintura ou pescoço no calor;

  • Tênis, que vai bem em ambas temperaturas;

  • Bota de cano curto;

Em relação às quantidades, basta seguir o esquema acima e está tudo certo.

Espero muito que esse post gigantesco lhe ajude a fazer suas próximas malinhas. E se tiver alguma dúvida ou dica esperta, comenta aqui.

#BoraSerLynda